Calote MEI: Saiba como evitar prejuízos!

O desejo de todo MEI é obter sucesso em seu negócio e evitar o famoso e desagradável calote.

Sabemos que com o aumento das vendas, problemas como a falta de pagamento de alguns clientes podem acabar acontecendo. Por isso, hoje iremos dar dicas para que o MEI evite calotes e siga faturando com sua empresa.

Calote MEI

No início é normal que as primeiras vendas sejam feitas na base da confiança para conhecidos e amigos das redes sociais. Compreendemos que essa forma de venda é válida para quem deseja conquistar a confiança da clientela, oferecendo a possibilidade de pagamento após a venda. No entanto, flexibilizar as formar de pagamento para vender mais pode até ser uma boa ideia no início, porém é necessário que o empreendedor tenha sempre uma garantia.

Leia mais: Como escolher o nome de sua empresa MEI.

Tome algumas precauções para administrar os seus lucros e evitar prejuízos. Estamos vivendo um cenário de pós crise e o mercado está cheio de pessoas endividadas tentando se restabelecer financeiramente. Por isso é de suma importância que o MEI tenha cautela na hora de fechar seus negócios.

Calote MEI: Não conte apenas com a sorte!

Repense o seu processo de venda, para que ele seja feito corretamente e você não tenha problema com calote. Vender corretamente e estar atento a alguns sinais de má pagadores é super importante. São alguns cuidados simples que o MEI pode implantar em seu negócio e prevenir o risco de não pagamento. Confira:

Não disponibilize pagamentos em cheque

O cheque é a forma de pagamento mais passível a problemas em recebimentos. Isso pois o empreendedor não possui nenhuma garantia de que o cliente possui recursos para cobrir os valores descritos no cheque.

Conceda condições especiais para bons pagadores

Para fidelizar os bons pagadores, uma boa opção é oferecer condições especiais e descontos. Quem paga à vista, por exemplo, pode ser recompensado com brindes e cupons de desconto para a próxima compra. Incentive esses consumidores a pagar à vista, já que assim o risco de calote para o MEI é zero!

Ofereça opções de pagamento diferenciadas

Além do dinheiro à vista ou no cartão de débito, oferecer a opção crédito é muito recomendada. A função crédito pode garantir que você receba o valor posteriormente e com essa forma de pagamento, o cliente também pode parcelar suas compras e assim conseguir levar mais.

Essa é uma oportunidade para quem não possui dinheiro no momento conseguir adquirir seus produtos e serviços. Sendo assim, além da maquininha de cartão, outra forma que pode facilitar bastante o pagamento para o seu cliente, é o boleto bancário. Já falamos sobre o tema aqui no blog, aproveite para conferir aqui.

Tenha estratégias para ajudar na cobrança

Tenha documentos que comprovem a venda do produto ou o oferecimento do serviço resguardando assim você e o cliente.

Uma outra forma que pode ajudar bastante a evitar prejuízos e ainda auxiliar a evitar prejuízos é combinar com o cliente um adiantamento, ou como é comumente conhecido “sinal”.

Nessa entrada o comprador paga metade do valor assim que faz sua encomenda e paga o restante no recebimento. Isso faz com que clientes que ainda estão com dúvidas se adquirem ou não o produto/serviço se decidam, além de que o MEI dessa forma possui uma segurança maior.

Faça contratos e emita nota fiscal

O MEI não é obrigado a emitir nota fiscal. Mas no entanto essa é uma maneira de garantir que o produto vendido ou serviço prestado seja pago.

Com a nota fiscal é possível acionar o comprador e solicitar o valor devido. Assim como no contrato o MEI não fica desamparado e evita calote.

Calote MEI: O cliente não pagou, o que faço?

Se a situação chegou em um ponto extremo e o seu cliente alega não ter como pagar pelo produto ou serviço, o MEI deve ter jogo de cintura. Mantenha a calma e converse com o devedor, buscando entender também o lado dele. Proponha o parcelamento da dívida até que a pessoa possa se organizar e pagar a dívida. Nesse caso, negocie também os juros para que você não saia perdendo.

MEI, se organize e evite calote!

Por fim, além de todas essas dicas, é importante que o MEI se organize para não perder o controle de suas vendas/serviços prestados e de seus recebimentos. É primordial ter tudo anotado e registrado, pois além de ajudar a cobrar corretamente e saber quem te deve, auxilia assim a controlar suas finanças.

Outro fator importante é que o próprio MEI não se esqueça de pagar suas contas todos os meses. É com o pagamento do DAS que o microempreendedor garante que o seu negócio continue funcionando de forma regular.

O empreendedor depende desses recebimentos para manter o seu negócio em dia, por isso, é essencial evitar calores ao máximo.!

Caso tenha outras dicas para o MEI evitar calotes, escreva nos comentários. Aproveite também para compartilhar o post nas redes sociais e fazer com que mais pessoas tenham acesso ao conteúdo.

Até o próximo post!

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *